Contribuição ao estudo da prevalência de bruxismo excêntrico noturno em crianças de 2 a 11 anos de idade

Resumo

Uma grande variação de prevalência de bruxismo infantil é relatada na literatura (5% a 81%), dificultando o estabelecimento de parâmetros comparativos. O objetivo deste estudo foi determinar a prevalência de bruxismo excêntrico noturno (BEN) e suas características em 213 crianças de 2 a 11 anos, sendo 130 crianças atendidas na Clínica de Odontologia Infantil da FOP-UNICAMP e 83 crianças atendidas em consultório particular. Os dados foram coletados mediante entrevista dirigida ao responsável pela criança e ao seu dentista e analisados estatisticamente através dos testes 2 e de Kruskal-Wallis. Os resultados mostraram uma prevalência de BEN de 28,64% (n = 61). A diferença de freqüência entre crianças bruxômanas e não bruxômanas não foi significativa em relação ao local de atendimento o (FOP versus consultório) (p > 0,05). Considerando o tipo de dentição, 39,34% das crianças com dentadura decídua e 24,34% com dentição mista eram bruxômanas (p < 0,05). Entre os bruxômanos (n = 61), 27,87% eram crianças ansiosas e 31,15% eram hgperativas. Cinqüenta e um por cento das crianças com BEN tinham problemas respiratórios e/ou alérgicos. Em relação à idade, observou-se uma maior prevalência de BEN em crianças de 2 a 5 anos e de 10 a 11 anos.

Autores

  • Rosemary Sadami Arai SHINKAI
  • Lucineide de Melo SANTOS
  • Frederico Andrade e SILVA
  • Marinês NOBRE DOS SANTOS

Publicado em

Revista de Odontologia da Universidade de São Paulo

ISSN 0103-0663

Rev Odontol Univ São Paulo vol. 12 no. 1 São Paulo Jan./Mar. 1998