Reabilitação Oral

Descrição

Como a própria palavra sugere, reabilitar significa habilitar novamente, e no caso da reabilitação oral, associada a outras especialidades como a ortodontia e principalmente a implantodontia, o objetivo fundamental é recuperar a função mastigatória, mastigar normalmente os alimentos sem precisar selecionar em um cardápio de restaurante o que se consegue mastigar ou não. Ou ainda, ter que escolher com qual lado se pode mastigar, ou precisar interromper a refeição para remover alimentos impactados em espaços entre os dentes ou sob trabalhos protéticos, e todas as demais situações desconfortáveis que somente quem vivencia pode descrever.

Reabilitar a estética é devolver ou promover uma situação visual agradável, harmônica de um sorriso, devolvendo aos pacientes reabilitados o pleno convívio social, melhorando sua auto-estima, ficando mais felizes e mais completos. Os tratamentos de reabilitação oral não são tratamentos rápidos e geralmente têm um custo diferenciado. Isso em função do tempo que o profissional precisa dedicar ao paciente e ao custo dos materiais com excelência em qualidade.
Porém, talvez nenhum outro investimento seja utilizado tantas vezes no seu dia a dia (o paciente aproveita seu tratamento para cada sorriso e em cada mordida).

Reabilitação Oral

O advento dos implantes osseointegrados de titânio, trouxe consigo uma nova realidade para as reabilitações orais. A possibilidade de frear a perda óssea que ocorria inevitavelmente após as extrações dentárias, de reter próteses que ficavam "dançando" na boca, além da possibilidade de colocar próteses fixas em locais onde antigamente só as removíveis eram indicadas.
Porém, é de fundamental importância a realização de uma avaliação clinica completa do paciente, tanto em relação a sua saúde geral como das condições intra-bucais, para saber se o local do dente perdido pode receber um implante dentário pela qualidade e condições do osso remanescente, e qual a técnica recomendada para a execução do procedimento.

A implantodontia visa devolver conforto, segurança e comodidade através de uma reabilitação funcional e estética de um, vários ou todos os dentes perdidos, possuindo uma grande variedade de aplicações, podendo substituir as antigas pontes fixas suspensas, através dos implantes unitários, e as pontes removíveis (ponte móvel) de extremidades livres, através da instalação de implantes nas regiões mais posteriores da arcada.

A reabilitação proporcionada pela implantodontia é dividida em duas etapas na sua execução: uma etapa cirúrgica, que é o preparo do rebordo ósseo, caso seja necessário, através da realização de enxertos, regularizações, etc., e a colocação dos pinos de implantes propriamente ditos; uma segunda etapa é a protética, que seria a confecção da prótese sobre os implantes (colocação dos dentes).

Os implantes atuais são de titânio e substituem as raízes dentárias naturais perdidas e, as próteses instaladas sobre os implantes podem ser parafusadas ou cimentadas sobre eles, dependendo do planejamento inicial.

Os benefícios imediatos são a melhora estética do sorriso, a capacidade mastigatória e funcional aliada a um aumento da auto-estima do paciente. Hoje, a literatura nacional e internacional oferece artigos sobre implantodontia com altos índices de previsibilidade e sucesso. As técnicas modernas e os estudos de avaliação visam proporcionar cada vez mais segurança e tranqüilidade ao paciente.

Implante Dentário

Fase cirúrgica

Reabilitação oralColocação de um implante e um pilar cicatrizante largo para dar um perfil de cicatrização de emergência à gengiva ao redor do implante, substituindo a raiz do dente perdido.

Reabilitação oralOs tecidos moles (gengiva) são modelados durante a cicatrização conforme o perfil de emergência selecionado.

Fase protética

Reabilitação oralColocação do pilar definitivo correspondente (intermediário que será o elo de ligação entre o implante e a prótese dentária).

Reabilitação oralConfecção de prótese unitária anatômica, reconstruindo o dente perdido.

 

Prótese fixaA - Prótese Fixa:

Indicada na presença de uma crista alveolar pouco reabsorvida. Pode ser de um único elemento dentário ou de vários, podendo inclusive ser utilizados como pilares de pontes fixas (substituição de vários dentes perdidos). (Caso Clínico 1).

 

Prótese Fixa TotalB - Prótese Fixa Total (tipo protocolo):

Indicada na presença de uma crista alveolar pouco ou moderadamente reabsorvida. Quando o rebordo ósseo permite a colocação de vários implantes, podendo ser realizada a reabilitação de toda a arcada com uma prótese fixa total (todos os dentes da arcada), totalmente parafusada nos implantes. (Caso Clínico 2).

 

SobredentaduraC - Sobredentadura (Overdenture):

Quando dispomos de pouco rebordo ósseo em arcos totalmente desdentados, os implantes são utilizados para estabilizar a prótese total (dentadura), proporcionando maior conforto e segurança na fala e na mastigação, através de um sistema de “barra clip” e um sistema de “o’rings” (tipo colchete de pressão). (Caso Clínico 3).

 

D – Carga Imediata:

São próteses provisórias que são instaladas imediatamente após (no mesmo dia) à realização dos implantes. Dependem da qualidade de fixação dos implantes no tecido ósseo, sendo que seu planejamento só é determinado durante a etapa cirúrgica. Podem ser unitárias, múltiplas ou totais. (Caso Clínico 4).